Sobre o Youtubeflix

Filmes em HD direto do Youtube

 

O YoutubeFLIX é o maior site agregador do mundo de filmes em HD, dublados e legendados em PORTUGUÊS, existentes no Youtube.

Muitos filmes no Youtube ficam literalmente escondidos entre milhões de vídeos e o usuário dificilmente consegue localizá-los, mesmo utilizando a busca do próprio site.

Aqui no YoutubeFLIX você localiza facilmente os melhores filmes dublados e legendados em português, em alta definição (HD), com muito mais facilidade. E sem passar horas intermináveis pesquisando. Também assiste os filmes (sem propaganda chata, sem correr o risco de vírus, etc) de uma fonte totalmente confiável, ou seja, diretamente do próprio Youtube. Tem ainda a opção de ver o trailer antes, para ver se o filme realmente lhe interessa. E, além de tudo isso, tem a possibilidade de baixar o filme para assistir onde e quando quiser, antes do Youtube removê-lo do seu acervo.

E tudo isso inteiramente GRÁTIS! Totalmente mantido por voluntários que amam o cinema. Portanto, aproveite e divirta-se!


Visualizações: 519

  1. Amigos, sou cinéfilo com 74 anos e gosto de filmes no original e legendados. Ainda não me adaptei aos filmes dublados. Estou a procura da fita “O açougueiro”, se não me engano do Claude Chabrol.
    Parabéns pela iniciativa do canal. Realmente, não preciso mais ficar pesquisando para assistir meus preferidos.
    Muito obrigado!

    1. Daniel, muito obrigado por entrar em contato. Você talvez não saiba, mas você é o primeiro usuário a nos enviar uma mensagem, por incrível que pareça. E olhe que já estamos entrando no segundo ano de existência do site. Como não temos fins lucrativos dependemos do incentivo dos usuários por enviar mensagens, sugestões, críticas construtivas, etc. E para falar a verdade eu, particularmente, já estava pensando seriamente em desistir de continuar mantendo o YoutubeFLIX. Mas voltando ao assunto: nós achamos o filme “O Açougueiro” de 1970 , dirigido por Claude Chabrol. Estamos tentando baixá-lo e, se tivermos êxito, vamos disponibilizar em breve e entraremos em contato para lhe comunicar. Um abraço.
      PS: temos uma seção “Legendados” onde ficam localizados todos os filmes com legendas, independentemente de gênero. Isso facilita muito para pessoas como você que preferem os filmes legendados.

      1. Amigos, agradeço a resposta ao meu comentário. Muito bom ter pessoas atenciosas.
        Grato pelo esforço de encontrar o filme do Chabrol.
        Não desistam de continuar oferecendo essas preciosidades da era de ouro do cinema.
        Creio que ainda manteremos contato.

        1. Caro Celso, acabamos de postar o filme que você solicitou, legendado. O link, para facilitar, é: [OBS:o link não existe mais, pois foi removido pelo Youtube, infelizmente]
          Divirta-se, amigo!

  2. Caro Benneh, assisti “O açougueiro” que você tão gentilmente postou. Grande Chabrol!
    Futuramente se me permite, vou solicitar mais alguns clássicos. Existe tanta coisa boa que está oculta do grande público que admira o cinema como obra de arte.
    Por exemplo, de 1946 “Delírios de um sábio” (Dr. Cyclop). Essa fita vi no cinema no final da década de 1950. Aqui em minha cidade, interior de SP, os filmes chegavam com grande atraso.
    Ah, trabalhei como operador de cabine por mais de 20 anos. Quanta saudade do 35mm.
    Desculpe me alongar.

    1. Celso, fique à vontade para pedir o que você quiser. É uma oportunidade para todos nós conhecermos grandes filmes que ficam “escondidos” do grande público. Esse filme que você pediu, “O Açougueiro”, foi uma grata surpresa para todos nós. Como esse, existem outros grandes filmes que só descobrimos através de indicações de amigos e até de livros que, muitas vezes, não tem nada a ver com cinema. Um exemplo recente é o livro de memórias de Jô Soares, “O Livro de Jô”, onde ele menciona vários filmes que marcaram a vida dele e que são realmente muito bons. É bom saber que você foi operador de cinema, isso me fez lembrar do personagem Alfredo do “Cinema Paradiso”, uma verdadeira obra-prima do cinema italiano. Uma curiosidade no meu caso em particular é que nasci nos anos 60 numa pequena cidade no interior do Nordeste brasileiro e lá só tinha um cinema com um singelo projetor de 16 mm. Só cheguei a conhecer pessoalmente o 35mm quando, aos 15 anos, me mudei para a capital do estado. Naquela época também via filmes na tv preto-e-branco que, devido à distância, pegava às vezes muito mal e com bastante “chuvisco”. Apesar das boas lembranças daquele tempo, hoje temos que agradecer por termos à nossa disposição filmes em alta definição em nossa própria casa. A premiação do Oscar foi ontem e praticamente todos os filmes indicados já estão disponíveis na internet para quem quiser assistir.

      1. Pois é, benneh. Muito legal seus comentários de hoje. “Cinema Paradiso” por mim projetado lá no lançamento, ainda me emociona muito. Revejo sempre que posso nas mídias disponíveis. E aquela música: leva-me para não sei onde nem sei quando.
        Pelo que já havia lido, não foi surpresa a premiação de “Parasita” como melhor filme.
        Aqui nesta praça, Avaré, SP , iniciei minha vida como espectador quando contava 12 anos, oriundo que fui da zona rural. Também assistia no 16mm. num pequeno cinema que se denominava “cineminha do padre”, propriedade da Paróquia de N.S. das Dores. A lembrança me remete a “Átila, o rei dos unos”, com Jack Palance, ainda em preto e branco, contudo, já na bitola cinemascope , hoje widescreen ou 2.35/1.
        Muito bom poder trocar ideias com você. Creio que teremos muito a conversar.

      2. Caro Benneh, bom dia, postei ontem, 10/02 um texto a sua atenção, porém, não apareceu aqui no espaço. O que teria ocorrido? Ah, continuo aproveitando os filmes postados.

        1. Celso, o filme que você solicitou “Delírios de um sábio” (Dr. Cyclop) que na realidade é de 1940, eu consegui localizar com legendas em português. Eu cheguei a baixá-lo, mas tive um problema no computador e perdi vários arquivos incluindo esse. Vou baixar novamente e preparar para publicar e assim que estiver online lhe comunico. Abraço.

    1. Celso, tentei postar, mas infelizmente o Youtube não aceita o filme “O Delírio de um Sábio (Dr. Cyclops)” por motivos de direitos autorais. Não sei porque o Youtube não obedece a lei brasileira de direitos autorais. Todos os filmes lançados até 1949 em qualquer parte do mundo estão em domínio público no Brasil. Esses americanos querem mandar no mundo. Uma lástima.

  3. Caro benneh, você colocou-se a minha disposição, então, lá vai: “Virtude Selvagem” de 1946 (quando nasci), com Gregory Peck. Caso seja possível, no original com legendas.
    Grande abraço.

  4. Boa noite aos responsáveis por esse excelente site.

    Por favor, não descontinuem o site. Em uma internet onde uma avalanche de informação inútil e sem objetividade faz com que nós gastemos 90% do tempo procurando o que desejamos e só nos reste 10% para, verdadeiramente, usufruir do que há de bom, um site como esse é uma pérola!

    Aproveito para indicar um podcast que trata de filmes trash/cult/gore: Podtrash. Feito com muito bom humor e bastante informação, faz com que a gente tenha o desejo de procurar por todos os filmes que eles comentam. Vale a pena conferir.

    Saudações.

    1. Obrigado, Sildeman, por suas amáveis palavras. Concordo com você em relação à quantidade de lixo que se encontra na internet. Temos que fazer uma boa garimpagem para encontrar algo de útil ou que realmente valha a pena. Aqui mesmo no Youtubeflix temos uma variedade de filmes para todos os gostos, porque os 10% que interessam a mim pode ser diferente dos 10% que vai agradar a outro visitante. Cada ser humano tem os seus próprios “10%” preferidos. Eu, particularmente, não gosto de filmes de terror, mas, democraticamente, apoio o site em ter esse gênero, mesmo porque existem zilhões de adeptos desse tema espalhados pelo planeta. Sei que sua observação não foi dirigida diretamente ao nosso site (embora também se aplique) e sim à internet em geral. Portanto, fique tranquilo.

      Obrigado pela indicação do podcast Podtrash. Vamos ouvir sim e, quem sabe, assinar e se tornar ouvinte assíduo, pois sou um “quase” viciado em podcasts. Adoro.

      Grande abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *